sábado, 4 de julho de 2015

Posted by Radira Araújo on 18:28 No comments
Hoje completa 1 ano que saí do Brasil com uma mala meio vazia e um coração cheio de esperanças...
Esperança de me encontrar em algum lugar ou quem sabe me perder completamente, esperança de viver momentos inesquecíveis, conhecer pessoas inesquecíveis.
















Eu não sabia o que me esperava, mas resolvi me doar por inteiro nessa nova etapa da minha vida. Há quem diga que fui corajosa, e olhando para trás, não ouso discordar. Foi coragem. Coragem de deixar o conhecido e partir pro total desconhecido sem certeza de nada, sem certeza de que tipo de pessoas eu estava indo morar com. Certeza se eu iria suprir minhas próprias expectativas.



E confesso pra vocês que saí do Brasil com o coração explodindo de vontade de novas aventuras, mas que em um ano quando olho para trás, não o fiz. Não como eu esperava, nao mergulhei totalmente de cabeça nessa etapa da minha vida que eu tanto desejava. Passei por alguns momentos difíceis, pra falar a verdade, momentos super difíceis. Tive que recomeçar nesse meio tempo. Chorei inúmeras vezes e em muitas delas arrumei minha mala decidida a abandonar tudo e voltar pra minha normal e segura vida. Me perguntei o que eu estava fazendo aqui e como me meti nessa...



Não tem como negar, momentos ruins existem sim, e são muitos. São milhares os momentos que você sente saudade da família, do aconchego da sua casa, do cheiro daquela comidinha caseira que só sua mãe sabe fazer, ou o colo acolhedor dela que lhe traria paz quando você tivesse um problema. Dos dias divertidos com os amigos, aqueles amigos verdadeiros, que quando você embarca nessa, infelizmente você não pode fazer truques de mágica e trazê-los na sua bagagem. Voce tem que dizer um indeciso "tchau" pra muitas coisas e pessoas na sua vida que você priorizava, que amava fazer, e que agora você se vê sem ou longe por um certo tempo.



Mas sabe de uma coisa? Olhando para trás, sem querer olhar, mas vejo que essa parte da minha vida, a qual eu mesma escolhi, me fez crescer, e que o ano de uma pessoa não pode ser feito apenas de momentos ruins. Existiram também os momentos das descobertas. Aquele momento que você se viu diante de um grande problema e no final quando tudo foi resolvido, você olhou no espelho e pensou: Eu não sabia que eu era capaz!



Houve aqueles que você riu tanto até fazer xixi na calça (literalmente aconteceu na noite de natal), ou aqueles que você  conheceu pessoas legais ou até mesmo o amor da sua vida (literalmente 10 meses juntos <3 ). Tem também o momento que você se ver entendendo um outro idioma, ou quando vê como os estrangeiros gostam do seu país, mesmo que pelos estereótipos, mas te faz feliz. E aquele que você vê neve pela primeira vez ?



É engraçado olhar pra trás e ver da sua lista de esperanças as coisas que você conseguiu fazer e risca-las de lá, e as que você ainda não fez... Hm! E quem disse que eu não posso fazê-las ainda ? que venha mais um ano dessa experiência maluca e que eu possa voltar aqui e dizer pra vocês, que não importa o quão difícil será as vezes, mas olhe para trás e conte quantas coisas você conseguiu ganhar dessa sua escolha e se sua resposta for "uma", apenas "uma", mesmo assim valeu a pena! Você ganhou algo disso tudo ;)

E nesse dia que completo 1 ano de andarilha na Europa quero parabenizar todas nós, au pairs, que chegamos até aqui! Mais uma etapa, uma fase completada, um desafio cumprido. Quando vejo a Radira de um ano atrás, a menina com o coração pulsante, e por mais que o ano perfeito não tenha existido, ou nem perto disso, mas me sinto feliz de ver meu progresso e de ter crescido o que eu não cresceria nem com 10 anos na minha vida antiga.


Eu sei que todas nós, au pairs, buscamos algo quando aceitamos entrar nessa. Seja lá o que for, podemos nos orgulhar sim de sermos corajosas. E não deixe que ninguém, ou até mesmo você próprio diga o contrário.

Feliz dia da au pair \o/ que não é apenas um dia específico, mas cada dia vivido por nós dessa maluca experiência :D

    Beijos!



0 comentários:

Postar um comentário